segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Opus nº ?

Breve

Mas não tão breve

Quanto o tempo no qual rasga o céu

Uma estrela cadente


Breve

Mas não tão breve

Quantos os minutos congelados

Que precedem a morte


Muito breve é a vida

Este sopro no qual passam-se os dias.

Muito breve é o anoitecer

Esse piscar de olhos que precede o nascimento.


Mas não tão breve

Quanto as palavras eufóricas

Ou breve como os dias que nos trouxeram aqui

E nem tão rápido

Como todas as sensações que nos afloram a pele.


E não tão breve

Quanto o momento em que os olhos se tocam.

Pois é o profundo, largo e infinito

Silêncio....


------------------------------------------------------------------------


( Escrito durante o silêncio que se deu após a discussão da importância do mesmo. )

8 comentários:

ivan alves de lima disse...

o que é isso, que maravilha. é um presente de aniversário que fiz ontem?

shaaa disse...

adoro a maneira como escreve.
belissimo texto.
beijo!

ivan alves de lima disse...

alguns dos seus blogs preferidos estão fora do ar. bj

Eduardo Godoi disse...

^^

o silêncio é tão lindo!

eu consegui vê-lo no final.

Fabiola disse...

o que seria da vida senão fosse o silencio, a espera, e o momento??
somente sensações e emoções
q lindo texto!
um bjo

Yui disse...

As vezes o silêncio preenche o vazio e faz nós compreendermos várias coisas...

Quantas vezes eu já disse que adoro seus textos?

Beijos

Julia Malaguti disse...

as vezes tudo o que precisamos é de silêncio.

Renata. disse...

o silêncio deve ser colocado em seu momento certo. quando palavras são necessárias ele deve se calar. mas quando tudo que queremos é ele, a calmaria momentânea de sons indesejados, ele é merecedor.