quarta-feira, 14 de abril de 2010

Palavras de concretude ( uma carta à arquitetura)

"A arquitetura como uma carta, datada, de data sem importância, pois sua infinidade concreta expande-se de um historia passada, o agora vivo e um futuro intangível. Arquitetura como palavra, sua imortalidade concretizada, elevada do chão com suas raízes do imaginário de um sonhador. O concreto como lúdico, das frases que possuem entrelinhas e das portas que se abrem sem revelar o mistério de cada vão. E selada, e pronta, mas que pronta nunca há de estar, sempre existe uma palavra a mais, um canto a se aumentar, uma janela a se abrir. E que possamos abrir as janelas, sempre, que como prosa voam no ar, se espalham no vento e criam asas para alcançar a todos os olhos de ver....

E assim, que ao construirmos paredes, façamos não muros, e sim conexões. Que ao fecharmos janelas façamos um útero onde possamos renascer em nossa reflexão. Que cada risco seja um pedaço de sonho em giz, em formas que não quebram, que fluem e nos levam embora, a voar com elas. Que nossos pés nunca toquem o chão, flutuando acima deles, no piso das ideias. Que o teto seja estrelado, e que as portas nos levem a mais perguntas e não a uma solução. E que aquilo que nos enclausurava seja agora uma caixa de possibilidades. Que o verde seja parte de um todo, e não a parte que complementa. E que a arquitetura seja agora não como delimitar, mas sim como uma expansão... e que possa enfim, voar!”


----------------------------------------------------------


Umas palavrinhas em homenagem a esta arte magnífica, que quando feita pelas mãos de um verdadeiro artista, vira poesia concretizada.
A arquitetura é poesia concretizada!


R.

10 comentários:

Harijan D disse...

Gostei muito.

Márcio Morais disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Márcio Morais disse...

Lindo... é ótimo se apaixonar pelo curso... nos faz ir mais além! Concretizar nossos sonhos...

Márcio Vandré disse...

Os muros só servem para ser derrubados. Conexões sim, que devem ser feitas. O mundo cosmopolita. :)
Está aí Niemeyer para provar a poesia.
Um beijo, Ricelli!

Anônimo disse...

rice, sempre arrasando nos texos ;) beijaao minha linda!

shaaa disse...

gostei disso:
" a arquitetura é poesia concretizada!"
perfeito!!

Jefferson de Morais disse...

Está lançada a campanha: "Concretize-se!" ^^

Muito bom, R.L.! Muito bom mesmo.

Bjs,
Jefferson.

nataliakochem disse...

Espera que tá saindo aquele texto...

Késia Maximiano disse...

Concretizando, idealizando...
Poetizando!

Beeeijos

Camila disse...

nunca havia lido algo assim, foi inusitado..